quarta-feira, 28 de abril de 2010

Alemanha - Munique e Frankfurt

Fomos na Alemanha duas vezes, a primeira vez fomos até Frankfurt e na segunda vez até Munique.

Frankfurt é até bonita, mas não acho que serve para turismo.Visitamos ela para ir no Salão do Automóvel, evento bem bacana. Mas foi só...não recomendo fazer planejar visita à Frankfurt.

Já Munique achei muito bacana, cidade limpa, moderna e bem com cara de país de primeiro mundo.

 Olha esta foto ai ao lado, é onde você compra seu jornal! Simplesmente pega seu exemplar e deposita as moedas correspondentes ao valor..assim, sem nenhuma trava. Coisa de gente honesta e educada né?!

O bilhete de metrô também não precisa ser apresentado à ninguém e não existe catracas. Você compra seu bilhete e guarda ele no bolso.


A comida típica é o Chucrute com Salsicha acompanhado de cerveja, copos de 1 litro! Provamos a iguaria na Cervejaria Hofbräuhaus uma das maiores do mundo, dizem que o ambiente lá dentro é como estar em uma Oktoberfest. Além das salsichas, notei que eles comem muita carne de porco. Tem joelho de porco por toda parte.




Visitamos também o estádio Allianz Arena, que neste dia estava tendo jogo..então pegamos ele acesso e lotado de gente.


E vimos muita Neve!!!!


quinta-feira, 22 de abril de 2010

Itália - Comida

Se tem uma coisa que eu amo de paixão é comida! E para isto a Itália é um prato cheio...




Pizza em Pisa












Torteline em Bologna

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Bolívia - Salar de Uyuni

Conheci este lugar agorinha pela internet...resolvi postar aqui para deixar guardado como um destino por onde quero passar quando estiver de novo no Brasil.


Fica na Bolívia, é o maior deserto de sal do mundo e também conhecido como o maior espelho natural. Viu como reflete o céu?!

Tá anotado :)

Escócia - Edimburgo - Edinburgh

Edinburgh é uma cidade pequena, mas que tem muita coisa bonita para ver e vários passeios turísticos. O mais impressionante é o castelo, que pode ser visto em qualquer ponto da cidade, pois fica bem no alto.


Visitamos também a Rosslyn Chapel, uma igreja que faz parte da trama do livro O Código da Vinci. Possui simbolos relacionados com os Cavaleiros Templários e a Maçonaria. Vale a pena pagar para ouvir o guia, ele explica muitos detalhes interessantes.


Na Escócia ficamos hospedados pelo CouchSurfing, uma rede de pessoas que não se conhecem e que oferecem a casa para viajantes. Sem cobrar nada por isto, apenas pela troca de experiências e cultura. Ficamos na casa de um peruano, gente finíssima.

Subimos em uma montanha, pequena, chamada Arthur's Seat e de lá tivemos uma vista maravilhosa da cidade.

Adorei a cidade e voltaria de novo...

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Inglaterra - Londres - London

Um dos melhores destinos que já fui, quem vem para Europa precisa conhecer Londres. A cidade é linda, grande e cheia de coisas para ver/fazer.

Já fomos 2 vezes e ainda queremos voltar para conhecer o tanto de coisas que não deu tempo.

sábado, 17 de abril de 2010


Adorei estas "camas" do aeroporto de Frankfurt...quebra um galhão!

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Africa do Sul - Cape Town - Cidade do Cabo

Conhecer o mundo não fazia parte dos meus desejos de criança/adolescente/jovem. O Lauro (o marido) sim, este sempre sonhava com o mundo "lá fora". Acabei gostando da idéia e hoje sim posso dizer que quero conhecer o mundo inteiro, não apenas lugares bonitos e famosos, me encanto também com o que é diferente da minha cultura.

Minha primeira viagem internacional foi para a África do Sul, onde fiz um intercâmbio de 4 semanas na cidade de Cape Town (Cidade do Cabo em português).

A cidade é linda, moderna e o povo muito amigável. Adoram brasileiros e são muito solícitos. Sempre dispostoS à uma boa conversa e um sorisso no rosto contagiante.

É visível a separação entre negros e brancos (ainda, infelizmente). Os negros acham que os brancos são todos ricos, imagina quantas vezes eu tive que explicar que eu não era rica :)

Não vi preconceito por parte dos Africanos, mas cheguei a encontrar alguns brasileiros preconceituosos que me fizeram vergonha. Mas deixa isto pra lá...

Estudei numa escola chamada GEOS, que existe em vários países do mundo. O inglês dos professores era impecávelmente britânico e a escola era muito bacana, boa estrutura e atendimento.

Não cheguei a fazer um safári, até me arrependo por não ter feito, mas era caro (pelo menos na época era caro para mim) e não tinhamos garantia de ver os bichos. Quem sabe na próxima né?!

Os pontos turísticos que ficaram na memória foram:
- Cape of Good Hope (Cabo da Boa Esperança), a vista é linda e vale a pena ir.
- Table Mountain: é uma montanha que tem o topo bem reto, parece que foi cortado. Pode ser escalada.
- Stellenbosch: uma cidade universitária que tem vinícolas lindas.

Na época tirei muitas fotos, mas o computador estragou e não achei os backups ainda (se eles existirem).

Adorei o lugar e voltaria com certeza para explorar mais o país.

Data da viagem: agosto de 2006

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Galway

Galway (em Irish Gaillimh) é uma cidade turística e universitária de aproximadamente 80 mil habitantes, sendo a terceira maior do país (depois de Dublin e Cork).


Para terem uma idéia do potencial turístico, ela ocupa o ranking de 42º entre as melhores cidades turísticas do mundo (14º da Europa). Ocupa este ranking por ser um dos melhores lugares na Irlanda para provar da cultura deste povo, como a arquitetura, a dança, a musica, a comida e as línguas (o gaélico e o inglês).

Como toda cidade possuí sua rua famosa, aqui se chama Shop Street, que fica (claro) centro da cidade. É uma rua de paralelepípedos onde não passam carros e está sempre lotada! Também conhecida como Rua dos Artistas, devido ao numero de pessoas se apresentando por lá em troca de algumas moedas, o que faz dela um lugar muito agradável para passear em uma manhã de sábado.

Como não poderia faltar em uma boa cidade irlandesa, também tem seus Pubs, com muita cerveja e musica ao vivo! Outra coisa que não posso deixar de comentar são os famosos festivais que ocorrem durante o ano, como Festival de Filmes (este ano apresetaram o brasileiro “Antonia”), Festival de Artes, Gaway Races (corrida de cavalos) e o Festival Internacional de Ostras (acompanhadas de uma boa Guinness!).

Mas para quem gosta de tranquilidade, tem também uma bela praia chamada Salthill onde se pode caminhar pelo calçadão e passar horas olhando para o mar (podem nadar também claro, mas eu ainda não tive coragem de entrar na água – é muito fria :) .

Ah, Galway também é uma das cidades mais seguras da Irlanda!!

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Work Permit

Em outro post contei como cheguei na Irlanda, agora vou explicar como é o processo para obter o Work Permit.

[ este texto foi escrito por mim especialmente para o Blog E-Dublin, estou re-publicando ele aqui ]


Primeiro, não existe Work Permit ou Green Card sem ter uma oferta de trabalho. É muito comum as empresas não saberem o que é necessário para um brasileiro trabalhar aqui legalmente por 40 horas, por isto é muito recomendado que nós brasileiros saibamos explicar o que será necessário para que nos contratem.

Segundo, o Work Permit ou Green Card não é um visto para você trabalhar livremente pela Irlanda, pois o mesmo traz as informações completas sobre o seu contrato de trabalho com uma determinada empresa.

Caso você queira trocar de emprego, terá que pedir um novo, porém a imigração espera que você fique pelo menos um ano no seu primeiro emprego aqui.

Para saber se você poderá se aplicar à um destes vistos, verifiquem as profissões elegíveis:
- Lista de profissões que NÃO podem se aplicar ao Work Permit
- Lista de profissões que PODEM se aplicar ao Green Card

Qual é a diferença entre Work Permit e Green Card?

Work Permit:
- a vaga precisa ter sido anunciada no FÁS e em algum jornal local (para garantir que nenhum Europeu a preenche)
- o salário precisa ser de no mínimo €30.000 por ano (sem máximo)
- pode aplicar para residência permanente após 5 anos
- o contrato de trabalho pode ser de 6 meses

Green Card:
- não precisa anúncio no FÁS ou jornal
- pode aplicar para residência permanente após 2 anos
- qualquer profissão pode aplicar, desde que o salário seja acima de €60.000 por ano
- salários entre €30.000 e €59.999 somente se estiverem na lista de profissões citada
- o contrato de trabalho precisa ser de no mínimo 2 anos

Caso você tenha um Work Permit e queira trocar por um Green Card, basta verificar se sua profissão está na lista, se estiver envie o formulário preenchido juntamente com seu Work Permit pedindo para mudarem.

Quem entra com o processo?
Tanto Green Card como Work Permit, pode ser você ou a empresa a entrar com o processo.
Só é preciso preencher o formulário, anexar os documentos (check-list na página 9) e enviar pelo correio para o endereço indicado. Ah, e pagar a taxa de €1.500 para um período de 2 anos.

Quanto tempo demora?
Você pode acompanhar os vistos que estão sendo processados no momento através do link:
Current Processing Times -> http://www.entemp.ie/labour/workpermits/index.htm

Eles pedem que seu passaporte esteja válido pelo menos 3 meses após o vencimento do Work Permit / Green Card. Então se for pedir um visto de 2 anos, seu passaporte deve valer por 2 anos e 3 meses.

Não se esqueçam de trazer na mala traduções juramentadas de todos os seus diplomas e certificados, tudo que for importante para provar que você é um profissional de uma das áreas permitidas. Para os casados, tragam também certidões de casamento.

Para se manterem atualizados, visitem o site do órgão responsável o Department of Enterprise, Trade and Employment. Todas as informações foram baseadas no que está disponível lá, porém podem ser alteradas à qualquer momento.

Bom, é isto ai. Espero ter esclarecido algumas dúvidas.

Boa Sorte à todos!

Como cheguei na Irlanda


Imagem: socialjusticenow.files.wordpress.com

Me perguntam muito como que consegui o visto de trabalho (Work Permit) para Irlanda, pois bem, vou explicar aqui para fonte de pesquisa para quem deseja o mesmo.

Primeiro queria dizer que a Irlanda não foi um país escolhido por mim, vim parar aqui por consequência do emprego oferecido.

Quando decidimos que era hora de morar fora do Brasil por um tempo, começamos a procurar emprego em todo e qualquer país que falasse inglês (até alguns que não falavam, mas que estavam na União Européia). Depois de muitos CV enviados (muitos e muitos mesmo, um ano de procura) eis que alguns frutos começaram a ser colhidos, respostas por email e algumas entrevistas por telefone.

[ Uma dica que eu dou é não começar a espalhar o seu CV por aí sem estar apto à fazer uma entrevista em inglês por telefone. Se você receber retorno, 99% de chance de marcarem uma entrevista e se você recusar a mesma ou não conseguir compreende-la, será descartado neste estágio do processo. Sendo assim, vá por partes. Se o seu inglês ainda não é suficiente, pense primeiro em fazer um intercâmbio para aprender e melhora-lo e só depois vá em busca de um emprego qualificado na sua área ]

Voltando, um belo dia uma empresa Irlandesa me mandou um email dizendo que estava com meu CV e queria marcar uma entrevista. Claro que aceitei na hora. Entrevista marcada para as 06h00 da manhã (horário de Brasília), nem precisa dizer que não dormi naquela noite né?! (e nem nas próximas noites que se seguiram depois desta entrevistas :(

Entrevista feita, 2 horas de muitas perguntas técnicas. Minha sorte é que cara que me entrevistou falava um inglês muito claro e calmo, isto ajudou muito. Mas ele vasculhou toda a minha mente a respeito do eu tinha colocado no meu CV.

[ não coloque nada no seu CV que vc não tenha como falar sobre isto em uma entrevista ]

Pronto! Estou contratada?! Não, foi mandar o resultado desta entrevista para o gerente. Ok, eu espero.

Um ano depois, ops quer dizer, 2 semanas depois (tá pareceu um ano para mim) recebi a resposta.
- Oi, podemos marcar outra entrevista?

Outra?! Nossa o que queriam perguntar mais?! Já tinha falado tudo que sabia. Mas claro, pode né.
Mesmo horário, mesmo local e mais noite sem dormir. Agora foi com o gerente do projeto, mais 2 horas de telefone e voilá. Nada de resposta de novo!

Esperei, esperei até que não aguentei e mandei email perguntando o resultado. Recebi uma resposta automatica dizendo que a tal mocinha estava de férias!!! Ok, continuo esperando. Afinal eu nem sou ansiosa né meu bem?!

Acabaram as férias da moça e chegou o tão esperado email, olhem ai:

[ Yes, our answer is absolutely positive, and I am already started to work on your package, which hopefully will be sent to you latest is tomorrow. Hope it is not too late for you. I also checked into the visa things, and also gathered few useful information for you about Ireland. ]

Gente nem preciso dizer que quase tive um treco né?! O Lauro (o marido) também...
E pasmem, neste mesmo dia ele recebeu a confirmação de um processo seletivo que estava fazendo para a IBM da Rep. Tcheca. E agora?! Temos 2 opções!!!!

Escolhemos a Irlanda, por 2 motivos: a primeira língua ser o inglês e a moeda ser o euro.

Bom, emprego conseguido agora era hora de entrar com o visto (Work Permit). Mas isto eu vou explicar em outro post, este aqui já está grande demais.

Conclusão...quem procura acha!

bjos